Certeza incerta

Por Rodolfo Rodrigues

caveira

A única certeza da vida é que um dia todos irão morrer. Mas esta certeza traz várias incertezas, dores, dúvidas, medos e angústia.

Como algo que sabemos que vai acontecer a qualquer momento, nos deixa tão mal? Porque é difícil aceitar algo que é certo? Mas “a dúvida é o preço da pureza e é inútil ter certeza”, diria Humberto Gessinger.

Teoricamente a morte seria um evento natural, assim como o nascimento. Mas, para a maioria das pessoas, o primeiro não é motivo de festa, como o segundo caso. Sempre que queremos confortar alguém que se depara com o falecimento de um parente ou amigo, tentamos dizer palavras de conforto, dizer que as pessoas foram desta para uma melhor etc. Claro que tudo isto é feito para tentar ajudar, confortar, mas estas palavras irão entrar em um ouvido e sair pelo outro de quem está sofrendo. O silêncio é o melhor.

Algumas culturas pregam que a morte deve ser comemorada, talvez mais até que o nascimento. Principalmente no chamado mundo oriental que, ao contrário do ocidental, não vê a morte como um grande tabu.

Hipoteticamente falando, se todos morressem apenas de forma natural, talvez a morte fosse encarada de uma melhor maneira. Mas crimes, acidentes, sofrimento com doenças chocam e abalam. A “lógica” seria filhos enterrarem seus pais, seria o natural, o mais velho partir antes do mais novo. Mas imagine o sofrimento de pais que precisam enterrar seus filhos? Sem dúvida alguma é um momento muito cruel.

É difícil falar deste assunto, não sou uma pessoa que lida bem com a morte. Sofro, choro, fico triste e em alguns casos revoltado, algumas vezes até por pessoas que nem conheço. Talvez isto aqui seja uma tentativa de tentar compreender melhor, ou pelo menos tentar aceitar que vai acontecer com todas as pessoas que amo.

A fé é a principal aliada para se confortar em momentos difíceis. Alguns acreditam que a pessoa amada vai para um lugar melhor e irá reencontrar com entes queridos que também partiram. Não importa o que você acredita, cada um segue sua religião ou doutrina.

No meu caso, vejo que o mais importante a fazer é rezar para que a pessoa descanse em paz e para que Deus abençoe e conforte os familiares que ficaram.

Anúncios

Sobre palpitandoocotidiano

Sou jornalista, com pós em empreendedorismo e marketing.
Esse post foi publicado em Reflexão. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s