Neymar: o Ruivo Hering do momento

Por Rodolfo Rodrigues

ruivo hering

“Foi tudo culpa do Ruivo Hering”. Quem assistiu o desenho do pequeno Scooby Doo, se lembra muito bem destas palavras. O personagem Fred acusava o “valentão” de tudo, toda vez que não conseguia desvendar um mistério.

No futebol também temos alguns “Ruivos”. Ronaldinho Gaúcho, que hoje é pedido por todos (ou boa parte) para voltar à Seleção Brasileira, sofreu durante anos, com o dilema de só jogar bem em clube. Tirando a partida contra a Inglaterra na Copa de 2002, é raro lembrar momentos de protagonismo do craque, mesmo quando ele era o melhor jogador do mundo, atuando pelo Barcelona. Kaká sofreu um pouco menos, já que teve um começo melhor com a “amarelinha”, mas também passou por isso, principalmente quando se esperava um protagonismo maior na Copa do Mundo.

Messi, um dos melhores da história também passou por isso na Argentina, com imprensa e torcida o acusando de mostrar sua genialidade somente no Barcelona. Isso mudou depois que o técnico Alejandro Sabella assumiu a seleção, montando um esquema tático onde o craque pôde mostrar seu verdadeiro futebol.

A bola da vez é Neymar. O jovem vem sofrendo constantes críticas (algumas pertinentes) sobre seu desempenho na Seleção. O Brasil vive um momento de mudanças, uma geração vencedora se aposentou, e quem continuou não rende mais o suficiente para ser convocado. Foi preciso uma renovação radical, e o peso de carregar o time nas costas ficou em cima de um garoto de 21 anos recém-completados, além do fato de ter mudado o comando técnico no momento que pareciam ter encontrado um esquema de jogo.

É óbvio que a maioria dos jogadores mostra um desempenho melhor nos clubes do que nas seleções. O entrosamento e um esquema tático bem definido são fatores que ajudam. Temos exceções: Ronaldo Fenômeno é uma delas, parece que nasceu para jogar na seleção, assim como o alemão Klose, dentre outros.

Neymar não se compara aos melhores, muito bem instruído ele sempre diz que precisa evoluir, e realmente precisa. Ele tem muito a crescer, principalmente parando com a mania de cair o tempo todo.

A falta de grandes ídolos e para alguns o fato de um argentino ser o melhor jogador do mundo (rivalidade que às vezes chega à idiotice), faz o peso em cima de Neymar aumentar.

Torcedores e parte da imprensa tentam fazer comparações desnecessárias e absurdas colocando o jovem santista entre os três ou quatro melhores do mundo, por exemplo. O pensamento dos formadores de opinião ecoa entre a população e a cobrança fica exagerada.

O engraçado é que quase ninguém anda jogando bem na seleção, mas a culpa é sempre de Neymar. Daniel Alves, por exemplo, vem enganando há anos, mas o status de ser jogador do Barcelona, o time da moda, o mantém intacto com a camisa verde e amarela.

Talento, Neymar tem de sobra, mas não tem a obrigação de ser o melhor. Ele é um grande jogador, com um futuro brilhante e que precisa crescer para, quem sabe um dia, ser comparado de maneira justa com os outros que, por enquanto, estão bem acima.

 

Anúncios

Sobre palpitandoocotidiano

Sou jornalista, com pós em empreendedorismo e marketing.
Esse post foi publicado em Esporte. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s