Máximas do esporte bretão

Por Rodolfo Rodrigues

Caixa Surpresa

Muita gente já deve ter escrito sobre este tema, mas como é algo que nunca sai de moda no Brasil, resolvi dar meus pitacos sobre o assunto. O futebol criou certas lendas, mitos, clichês, ou máximas se preferir, que entraram para sempre na mente dos amantes do esporte bretão. Eu e você com certeza já usamos, continuamos usando ou usaremos pelo menos uma destas expressões, conversando com alguém, ou em algum texto, mesmo que de forma inconsciente.

Estas máximas entraram no imaginário popular há tanto tempo, que não duvido que vieram para o Brasil junto com a bola trazida por Charles Miller (claro que estou brincando, mas é bom explicar, tem gente que não tem senso de humor).

Tentei lembrar algumas destas frases clássicas e comentar: Brasil é o país do futebol – claro que o futebol é o esporte mais popular do nosso país, mas isso não quer dizer que a “máxima” é verdadeira. Em termos de média de público, nosso campeonato nacional está atrás da segunda divisão da Inglaterra, da liga chinesa e da liga japonesa, só pra citar alguns.

Pênalti é loteria – Isto é desculpa para que não cobra direito. Pênalti é treinamento e concentração. Claro que também é preciso contar com o treinamento e a concentração do goleiro que está ali para defender, mas jogar a culpa na sorte é uma enorme desculpa.

Treino é treino, jogo é jogo – Nem sempre treinar bem é sinônimo de jogar bem e vice-versa. Existe também aquele que não treinava e jogava muito, o baixinho Romário.

O time precisa correr atrás do prejuízo – Que eu saiba, o melhor é correr atrás do lucro, a não ser que o objetivo desta equipe seja barrar o Íbis, no título de pior time do mundo. Ou o Tabajara Futebol Clube, se preferir.

Time que está ganhando não se mexe – Essa com certeza você já ouviu de seu pai, ou se seu avô. Apesar da vitória parcial a equipe pode melhorar, então se o treinador for inteligente e tiver boas peças de reposição é claro que ele poderá mexer na equipe, mesmo com o placar favorável.

Por fim, resolvi deixar duas clássicas. O futebol é uma caixinha de surpresas – Está é a desculpa número um para dirigentes, treinadores, jogadores e até torcedores. Tudo de errado pode ser justificado com essa frase, que se tornou uma obra prima do futebol.

E para terminar, uma que também acho muito engraçada: Dois a zero é um resultado perigoso – Claro, estar vencendo por 1 a 0 é muito melhor do que por 2 a 0 né?! Só se for no seu mundo, no meu 2 a 0 é um resultado perigoso apenas para quem tá perdendo.

Se você concordar com algumas destas frases e, consequentemente, discordar dos meus comentários, pode detonar. Ou se você se lembra de outras pérolas, pode comentar. O espaço é livre.

Anúncios

Sobre palpitandoocotidiano

Sou jornalista, com pós em empreendedorismo e marketing.
Esse post foi publicado em Esporte. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Máximas do esporte bretão

  1. Vamo lá metal, palpitando o cotidiano com pitadas de ideias furadas: na hr q vc fala do treino é treino, jogo é jogo (pra mim também acrescentaria “e jogo-treino é jogo-treino”) vc usa exemplo que justifica essa maxima, portanto, podemos dizer q algumas dessas são verdadeiras mesmo a pesar de serem clichês. no correr atras do prejuizo acho q vc pegou pesado também. acredito q essa máxima do futebol é apenas uma frase simplificada do tipo “temos que correr atras do prejuizo que tivemos no primeiro tempo” algo do tipo recuperar o erro. Mas chega das ideias furadas e vamos palpitar: poderiamos citar ai também as novas máximas do futebol e pedir para que todo mundo cite alguma máxima nova tipo “a bola pune!” criada por muricy ramalho ou “time grande precisa de ct de respeito” ou “antigamente se amarrava cachorro com linguiça”. bom, desmitificando essas lendas: 1- a bola realmente pune? sim! a bola pune! experimente levar uma bolada nas partes pra vc ver como é penoso. 2- time grande precisa de ct de respeito? não! até o atletico mineiro tem ct de respeito e mesmo assim foi vice pro fluminense do ct dos ratos. 3- antigamente se amarrava cachorro com linguiça? não! sempre se usou corda ou corrente para amarrar cachorro! até pq se vc fritar a linguiça que amarrou o cachorro vc vai comer pêlo pra caramba! mas tirando a piada, nunca houve time 100% inocente. ate time de varzea, qdo via que ia perder o jogo baixava o sarrafo. E tenho dito.

  2. Rafael disse:

    Não tem muito haver com o texto máximas do futebol, mas lembrei de algumas pérolas ditas por jogadores de futebol:

    Quando o jogo está a mil, minha naftalina sobe.
    Jardel (ex-atacante do Grêmio).

    O meu clube estava à beira do precipício, mas tomou a decisão correta: deu um passo à frente.
    João Pinto (jogador do Boavista, Benfica, de Portugal).

    O difícil, vocês sabem, não é fácil…
    Vicente Matheus (eterno presidente do Corinthians).

    Jogador tem que ser completo como o PATO, que é um bicho aquático e gramático.
    Vicente Matheus (eterno presidente do Corínthians).

    Clássico é clássico e vice-versa…
    Jardel (ex-atacante do Grêmio e da Seleção Brasileira).

    No México que é bom. Lá a gente recebe semanalmente, de quinze em quinze dias…
    Ferreira (ex-ponta-esquerda do Santos)

    Tenho o maior orgulho de jogar na terra onde Cristo nasceu…
    Claudiomiro (ex-meia do Internacional-RS ao chegar em Belém do Pará para disputar uma partida contra o Paysandu pelo Brasileirão de 72).

    Não sei, chutei, a bola foi indo, indo…. e iu!
    Nunes (ex-atacante do Flamengo ao descrever um gol que tinha feito).

    Tanto na minha vida futebolística quanto com a minha vida ser humana…
    Nunes (ex-atacante do Flamengo, em uma entrevista antes do jogo de despedida do Zico).

    Não venham com problemática que eu tenho a solucionática.
    Dadá Maravilha (ex- jogador de futebol e primeiro marqueteiro do nosso futebol).

    Só existem três coisas que param no ar: Beija-Flor, Helicóptero e Dadá.
    O mesmo Dadá Maravilha da frase anterior.

    A moto eu vou vender, e o rádio eu vou dar pra minha tia.
    Josimar (ex-lateral direito do Botafogo ao responder a um repórter o que iria fazer com o Motoradio que ganhou como melhor jogador da partida).

    Nem que eu tivesse dois pulmões eu alcançava essa bola.
    Bradock – amigo de Romário reclamando de um passe longo.

    Realmente minha cidade é muito facultativa.
    Elivelton (ao repórter da Jovem Pam que falava das muitas escolas de ensino superior existentes na cidade natal do jogador).

    A partir de agora meu coração tem uma cor só: rubro-negro.
    Fabão (zagueiro baiano ao chegar para o Flamengo).

    Campeonatinho mixuruco, nem tem segundo turno!
    Garrincha durante a comemoração da conquista da Copa do Mundo em 58.

    Você viu, Didi, o São Cristóvão está de uniforme novo!
    Garrincha, em 62, no Chile, reparando no uniforme dos ingleses.

    Que interessante, aqui no Japão só tem carro importado!
    Jardel, jogador de futebol, referindo-se aos Toyotas e Mitsubishs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s